Menu fechado

Proposta de produção de texto teatral

Proposta de produção de texto teatral

A proposta de produção de texto teatral pode abranger várias vertentes, conforme o tema que se pretende produzir, bem como os objetivos que se pretende alcançar com essa peça. Por se tratar de uma produção de texto teatral para crianças, ela não irá abranger temas muito específicos ou complexos, ao contrário, trazendo uma abordagem simplificada e com um caráter humorístico da peça, o que pode facilitar bastante a vida da pessoa responsável por criar essa proposta. 

Sendo assim, nós decidimos criar este artigo para falar um pouco mais da elaboração e da criação da proposta de produção de texto teatral, trazendo alguns dos seus principais aspectos que merecem mais atenção, bem como a maneira correta de elaborar essa proposta. Dessa forma, caso você tenha interesse em saber mais sobre o tema e ficar a par de tudo que reunimos sobre ele, nós recomendamos que continue conosco nessa leitura e tire todas as dúvidas que surgirem.

O que são textos teatrais?

Dramas ou textos dramáticos são produzidos para performance (performance) e podem ser escritos em poesia ou prosa. Portanto, são dramas escritos por dramaturgos e dirigidos por produtores de teatro, e geralmente pertencem ao tipo narrativo. Em outras palavras, o texto dramático apresenta a trama, os personagens, o tempo e o espaço, podendo ser dividido em “cenas”, representando diferentes momentos de ação, como mudanças de cenas e / ou personagens.

Desta forma, o texto dramático tem características únicas sendo afastado de outros tipos de texto pela função principal que lhe é atribuída: a representação cênica. Dessa forma, apresenta o diálogo entre personagens e algumas observações no corpo do texto, como espaço, cena, ação, personagem, título (explicação, ação). Como os textos dramáticos são produzidos para atuação ao invés de narrativa, geralmente não há narrador, o que é um fator diferente dos textos narrativos. 

Podemos dizer que se trata de uma modalidade artística, com surgimento há muitos anos, remontando o período da Grécia Antiga, de modo que esses textos teatrais eram detentores de grande importância e função social, onde os espectadores poderiam aguardar por horas as apresentações, que geralmente duravam o dia todo.

Principais características dos textos teatrais

  • Não possuem um narrador;
  • É composto por linguagem gestual e corporal;
  • Possui figurino, sonoplastia e cenário;
  • Tem palco, plateia e atores;
  • O formato é o discurso direto;
  • Há diálogo entre todos os personagens;
  • O seu gênero é o narrativo;
  • Possui textos encenados.

Linguagem utilizada

A linguagem utilizada nos textos teatrais é totalmente gestual, corporal, dialógica, dinâmica e expressiva. Para prender a atenção das pessoas que assistem ao espetáculo, os textos teatrais sempre são responsáveis pela apresentação de conflitos, ou seja, momentos de tensão cuja resolução se dará no decorrer da peça. É interessante frisar que a maior parte da linguagem teatral é dialógica, entretanto, quando a encenação ocorre com apenas um personagem, dizemos que ela se trata de um monólogo, por meio do qual são expressos sentimentos e pensamentos da pessoa que está ali atuando.

Como fazer uma peça de teatro para a escola?

Para orientar o desenvolvimento de uma peça de teatro para a escola, é necessário que o autor siga algumas de nossas dicas, que inclui: a história, os personagens, o texto, a peça e por fim, os ensaios. A seguir, falaremos sobre cada uma delas de forma mais detalhada:

História

Aqui temos uma das principais ideias que devem ser consideradas na hora de criar uma peça de teatro. De início, é necessário que o grupo converse para saber qual peça será encenada. Existem várias opções de peças que podem ser escolhidas, sejam aquelas baseadas em filmes ou livros, bem como aquelas baseadas em histórias reais e que se encaixam na proposta inicial do projeto.

Os personagens

Após escolher qual a história será encenada, é necessário que os personagens sejam escolhidos conforme o número de participantes da peça. Para isso, o processo é bastante simples, basta selecionar os papéis principais, voltados às pessoas desinibidas e falam melhor que os demais, bem como os papéis secundários. É possível criar diversos tipos de personagens no entorno dos principais, portanto, fica a critério da imaginação de cada um.

O texto

Talvez uma das partes um pouco mais complicadas é a criação do texto, que deve ser baseada na peça escolhida. Dessa forma, é interessante buscar as pessoas com facilidade em escrever para ajudar nesse momento.

A peça

O texto mencionado anteriormente será o responsável pela orientação dos demais participantes da peça, portanto, para que os próximos passos como os figurinos, a sonoplastia, iluminação, cenário, etc., dependem do texto criado. Assim, você poderá escolher aquilo que melhor se adapta a ele.

Distribua cópias dos textos para todos

Após criar o texto e aprontar a peça, é interessante distribuídas cópias para todos os participantes, onde eles possam destacar a sua própria e, ao mesmo tempo, ter acesso a todo o texto do teatro. Com isso, ele terá uma ideia geral de como irá funcionar a peça.

Leitura da peça

Após fazer a distribuição das cópias da peça para todos os participantes, é interessante que cada um dos personagens faça a leitura junto aos demais, como se estivessem contracenando entre si. Assim, os demais podem sugerir mudanças ou dar ideias de diálogos diferentes, bem como trazer algumas críticas a respeito desses textos.

Ensaios

Por fim, os ensaios. Após todos os passos anteriores, é hora de colocar em prática tudo que foi dito.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *